Pages Navigation Menu

O sonho de Deus para mim!

carmelita

“Vem e segue-Me” é o convite mais radical que Jesus pode dirigir a cada um de nós. Todas as vocações são formas concretas de seguir Jesus, só temos que descobrir qual é o caminho por onde Ele nos chama a segui-Lo. Essa descoberta passa por mediações humanas e Ele serve-se de muitas formas para nos mostrar a Sua vontade. Quando tinha 16 anos fui convidada a participar num retiro vocacional, onde o Sacerdote que o animava, nos disse que “Deus tem uma vocação especial para cada um de nós e só seremos verdadeiramente felizes se a descobrirmos e a seguirmos com generosidade”. Não sei o que estas palavras causaram nos outros jovens, mas para mim foram como uma semente lançada à terra… Compreendi que o amor de Deus por mim era tão grande que desde toda a eternidade Ele tinha traçado um plano de amor e de felicidade para mim.

Aceitei o desafio e comecei a procurar o meu lugar na Igreja. Todos os dias perguntava: “Que queres de mim, Senhor?” e ia deixando que Ele me falasse pelos acontecimentos do dia a dia, pelos meus amigos, familiares, por pessoas experientes em questões vocacionais…

Comecei por me sentir atraída pelas missões, gostava de ir para um país distaste, colocar a minha vida à disposição daqueles que mais necessitavam, mas constatei que também ali, na minha cidade, havia muitos que precisavam de ajuda e eu, apesar de estar comprometida em várias atividades de voluntariado, não podia chegar a todo o lado. Senti-me pequenina diante do muito que havia para fazer.

Lembrei-me, então, da visita ao Carmelo de Coimbra, no fim daquele retiro, e da conversa com a irmã que respondeu às nossas muitas perguntas e nos informou que vivia ali a Ir. Lúcia, vidente de Fátima. Decidi escrever-lhe a pedir a ajuda das suas orações para o meu discernimento vocacional. Qual não foi o meu espanto quando recebi uma carta dela! Falou-me da beleza da entrega a Deus e do valor da oração. Fiquei indecisa se a minha vocação era a de falar de Deus aos homens, na vida missionária, ou a de falar dos homens a Deus, na vida contemplativa.

Foi-me dada a oportunidade de fazer uma experiência vocacional no Carmelo, durante as férias do verão, e comecei a perceber melhor a vontade de Deus a meu respeito: sendo Carmelita posso, pela minha oração, ser missionária não apenas num lugar concreto, mas em todas as partes do mundo; posso, pela minha entrega a Deus, ajudar os sacerdotes, os missionários e toda a humanidade onde quer que haja mais necessidades. Descobri, finalmente, o sonho que Deus tinha para mim desde toda a eternidade!

No dia em que fiz 18 anos pedi aos meus pais, como prenda, que me apoiassem e ajudassem a entrar no Carmelo, o que aconteceu no dia 2 de Agosto de 1996, precisamente 95 anos depois da entrada de uma outra Carmelita, hoje já Beatificada, Ir. Isabel da Trindade, no Carmelo de Dijon. Dela aprendi e continuo a aprender muito e creio que, como ela, posso dizer que “Achei o meu Céu na terra, porque o Céu é Deus e Deus está em mim”.

Agora vejo que a descoberta da minha vocação não era a meta final da minha busca, mas o início de uma aventura radical onde ganha quem dá a vida pela causa de Cristo e dos Irmãos.

 

Irmã Ana Sofia de Maria e da Trindade

468 ad