Pages Navigation Menu

A vida de uma Carmelita caracteriza-se na sua entrega total a Deus

IMG_1313

A vida é uma história de amor! Uma construção do amanhã a partir do hoje  com Aquele que é  o “ Caminho, a Verdade, a Vida” (Jo 14,6).
Antes era Professora. Agora quero ser Carmelita. Não estava nos meus projectos, mas Deus revelou-me os seus desígnios.

No dia 22 de Setembro de 2003 vim pela primeira vez ao Carmelo fazer uma visita. Fui convidada a escrever à Irmã Lúcia. Ofereceram-me um livro de Santa Teresinha e entrei na Igreja. Não tenho palavras para transmitir o que senti junto de Jesus no sacrário. Ele estava ali por Amor…

Voltei para Aveiro, onde residia, e surgiu a oportunidade de participar no Encontro Anual do Carmo Jovem, que se realizava no Santuário do Menino Jesus de Praga em Avessadas. O tema do encontro era “São João da Cruz, Pastor de Contemplativos”. Ressoou na minha mente o cântico espiritual (canções entre a alma e esposo) de S. João da Cruz e o pensamento de Santa Teresa de Jesus que continha na chave do quarto onde fiquei “Só o Amor dá valor a todas as coisas”.

Passados alguns dias recebo uma carta da Madre Prioresa que, a pedido da Irmã Lúcia, transmitia a ajuda das suas orações pelas minhas intenções, em especial o pedido da luz do Espírito Santo para o meu caminho. A Madre ficava também a rezar. Senti, então, vontade de saber como era a vida de uma Carmelita e todo o mistério que a envolve. Voltei ao Carmelo e conversei com a Madre. Coloquei a hipótese de fazer uma experiência com as Irmãs. Falei com o P. Pedro, que era confessor da comunidade. Em Fátima dos dias 12 e 13 de Outubro de 2003 pedi auxílio a Nossa Senhora que me ajudasse. Uns dias depois conheci a comunidade do Carmelo e mais tarde chegou a resposta da Madre a dizer que me recebiam.

Eu aguardava colocação numa Escola. De facto recebi três telefonemas de Escolas a comunicar que havia vaga para Professor de Matemática e Ciências da Natureza e se estava interessada e por três vezes eu recusei. Comuniquei aos meus pais que queria fazer uma experiência de vida contemplativa com as Irmãs Carmelitas de Coimbra. Esta notícia foi ocasião de tristeza e de dor para a família. Entrei no Carmelo no dia 25 de Outubro de 2003 para tempo de experiência.

Em Janeiro de 2004 voltei para a família. As dúvidas assaltavam-me, começava a época dos concursos para o novo ano lectivo. Recordei então os pensamentos de Santa Teresa de Jesus – “Deus jamais falta a quem O serve”, “Só o Amor dá valor a todas as coisas”. Entre tantas dúvidas e tão grande luz, decidi entrar no Carmelo a 7 de Março de 2004.

Agora no Carmelo, como nos diz a Beata Isabel da Trindade “É preciso separar-se de tudo para possuir Aquele que é Tudo”. No início o silêncio era umas das muitas dificuldades que senti. A vida de uma Carmelita caracteriza-se na sua entrega total a Deus, no silêncio, na solidão, na oração e abnegação evangélica, bem como pela penitência alegre. A obra é de Deus. Ele comanda os nossos movimentos, como nos recorda o Santo Padre: “ Não tenhais medo de vos dar a Cristo! Ele não tira nada, dá tudo” ( Bento XVI ).

No dia 8 de Dezembro de 2009, foi-me concedida a graça de dar o meu “SIM” para sempre a Jesus…

O meu coração em júbilo e porque se sabe pequeno e pobre, transborda numa prece confiante: Mãe Imaculada dizei comigo o SIM a Jesus em cada dia, em cada hora, em cada instante da minha vida. Uma renovada oferta à vontade do Pai, como Cristo “o meu alimento é fazer a vontade de meu Pai” (Jo 4,34).

Unida a Ti, Jesus, à Tua acção Redentora, na Eucaristia, quero ser contigo hóstia viva para a salvação da Humanidade. Com o Espírito Santo tudo Te ofereço: o amor, a oração, as alegrias, as tristezas, o trabalho, o sofrimento … tudo. Ser Contigo verdadeira esposa, intercessora, medianeira, mãe…”para que o mundo tenha vida e vida em abundância” (Jo 10,10).

Como nos diz a Santa Teresa de Jesus ” O Verdadeiro amante em toda a parte ama e sempre se lembra do Amado” (Fundações 5,16). Assim sejamos todos, cada um no seu caminho, no Projecto Amoroso do Pai, numa Verdadeira Comunhão cada vez mais profunda com a Trindade.

Com Maria Santíssima e São José louvemos a Trindade Santíssima, Amor Infinito, Alegria e Paz sem fim.

 

Irmã Lúcia Maria da Imaculada Conceição

468 ad